FAÇA SUAS COMPRAS PELO NOSSO BLOG.

Top30 Brasil - Vote neste site!
FAÇA SUAS COMPRAS PELO NOSSO BLOG. Concurso de sites Top30.
Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina
Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina

quarta-feira, 29 de abril de 2009

BONITA E TALENTOSA



CD solo de estréia da compositora/cantora/violonista Camila Costa, do grupo Sururu na Roda, que, com sua voz delicada, mostra dez composições próprias, algumas em parceria, com sua visão muito particular do comportamento humano.Nesse CD a palavra é privilegiada, independentemente das belas canções que receberam arranjos impecáveis dos maestros Humberto Araujo, Ruy Quaresma e Gilson Peranzzetta.
CONFIRA EM:

terça-feira, 28 de abril de 2009

MAIS UMA BOA DICA


Ana Costa Revelação no Prêmio Rival Petrobras de Música 2006. Indicada como melhor cantora de samba e melhor cantora no voto popular do Prêmio Tim de Música 2007.Cantora do tema do Pan 2007 “Viva Essa Energia” com Arnaldo Antunes Cantora, instrumentista e compositora, Ana Costa lançou seu primeiro CD solo em 2006 pela Zambo Discos, intitulado Meu Carnaval, mostrando toda sua pluralidade. Ana Costa reuniu compositores consagrados e novos nomes do samba em um trabalho sofisticado, em que, além de cantar, tocar e compor fez doze dos quatorze arranjos. Após quase 3 anos, Ana volta com um novo Cd produzido desta vez por Alê Siqueira (produtor de Marisa Monte, Caetano Veloso, Carlinhos Brown, Arnaldo Antunes entre outros) intitulado Novos Alvos contando com participações especiais de Martinho da Vila, Leila Pinheiro, Moska e Osvaldo Cavalo e contendo parcerias com Zélia Duncan, Mart’nalia, Jorge Agrião, além de uma inédita de Carlinhos Brown, seguida de Celso Fonseca, Elton Medeiros, Delcio Carvalho, Mariozinho Lago, Martinho da Vila, Tuninho Galante e Marceu Vieira. Sem dúvida, um belo trabalho aonde o tradicional e o moderno se encontram dando o tom de contemporaneidade que se faz presente.
NOVOS ALVOS - O CD CONTÉM AS SEGUINTES MÚSICAS:
Samba Cria Lei (Carlinhos Brown)
Novos Alvos (Mart'nalia/Ana Costa/Zélia Duncan)
Coisas Simples (Claudio Jorge/Elton Medeiros) part. MARTINHO DA VILA
Batendo Perna (Ana Costa/Jorge Agrião)
Crônica de Uma Cidade Armada (Celso Fonseca)
Almas Gêmeas (Luiz Tatit) part. MOSKA
Antiga (Ana Costa/Zélia Duncan) part. LEILA PINHEIRO
Estranho (Mario Lago Filho/Délcio Carvalho)
E Vai Que Dá (Marceu Vieira/Tuninho Galante)
Caderneta-A Minha Nega (Evandro Lima/Silvão/Claudinho Guimarães) part. Oswaldo Cavalo
Quer Amar Mamãe (Martinho da Vila)

segunda-feira, 27 de abril de 2009

SAIBA MAIS SOBRE "ANINHA PORTAL"



ANA LUCIA FERREIRA PORTAL BITTENCOURT – “ ANINHA PORTAL

Em 1993, Aninha Portal iniciou sua carreira artística em Belém - PA. Como vocalista do “Grupo de Samba Sol Maior”, participou do Festival Anual de Música promovido pela Casa de Espetáculos Lapinha , obtendo ótima colocação. Com o mesmo grupo apresentou-se em vários eventos locais, cantando Música Popular Brasileira - Samba de Raiz, em carreira solo, e fez várias apresentações em Bares e Eventos. Em 1995, transferiu-se para o Rio de Janeiro, convidada como vocalista do “Grupo Sorriso”. Em 1997, como voz feminina do “Grupo Azulão” formado por oficiais do Corpo de Bombeiros do Estado do Rio. Tem como madrinha nada menos que Beth Carvalho. Desde então participou de vários grupos: Kavaketta, com o qual se apresentou durante nove meses no Cacique de Ramos, onde venceu o concurso de sambas de embalo do Carnaval de 1999. A partir do ano 2000 em carreira solo, vem se apresentando nas melhores casas e rodas de samba, primando pela qualidade de um repertório formado a partir das suas influências, exaltando grandes mestres e intérpretes do gênero: Cartola, Nelson Cavaquinho, Paulinho da Viola, Roberto Ribeiro, Noel Rosa, Ary Barroso, Chico Buarque,Beth Carvalho, Clara Nunes, Zeca Pagodinho, Arlindo Cruz, Fundo de Quintal.... Em 2002, depois de temporada na "CASA DA MÃE JOANA", abrindo o show para o mestre Jamelão, a cantora é convidada pelo grupo Além da Raiz, para participar como vocalista em viagem para Lima/Peru, com show mostrando a música brasileira em festival gastronômico no hotel Sheraton /Cassino, turnê que durou 10 dias e teve vasta divulgação da mídia do país, rádios, TVs, jornais... . De forma ininterrupta no bairro mais sambista do RJ, Lapa, a cantora e compositora já passou por todas as casas conceituadas e dedicadas ao gênero: Carioca da Gema, Sacrilégio (temporada de dois anos e meio), Teatro Odisséia, Rio Scenariun, Bar da Ladeira, Mistura Carioca (temporada de um ano e seis meses), Céu Aberto, Memórias do Rio, Mangue Seco, Mal do Século, Varandas Gourmet, Cariolapa. Atualmente, com seu grupo "Portal de Bambas", em parceria com o Clube do Samba, criado por João Nogueira, comanda sua roda de samba, na Movelaria Café, localizada no quarteirão cultural da Lapa - Centro do Rio Antigo. Em 2007, participa do CD "AS CANTORAS DA LAPA - ENCANTOS DO SAMBA", juntamente com mais nove outras cantoras que circulam pelo bairro. Também em 2007, lança seu primeiro CD solo "FEITIO DE ORAÇÃO", título de um dos clássicos de Noel Rosa e Vadico, faixa n° 3 do CD feito para quem ama o samba e que faz um passeio por várias vertentes do ritmo, trazendo compositores consagrados como: Arlindo Cruz, Dominguinhos do Estácio, Badem Powell, Paulo César Pinheiro, Carlos Caetano... . Conta com a participação do cantor e compositor Marquinho Sathan e também se apresenta como compositora nas faixas 12 e 13. Desde então, vem divulgando seu projeto participando de programas em rádios, show ao vivo na Rádio Nacional, TVs,jornais... Recentemente, teve matéria divulgada na revista AGITO na coluna, Samba Identidade Nossa. Com vasta experiência profissional, já dividiu palco e participou de projetos com artistas renomados, por exemplo: Tributo a João Nogueira na sala Baden Powell, com a participação entre tantos de Emílio Santiago... Em 2008 participou dos projetos "AS VOZES DA LAPA" promovido pela Casa da Matriz, "CANTOS DA LAPA" promovido pelo Samba da Amendoeira, "AS ESTRELAS DA LAPA" promovido pelo Samba no Sítio e Homenagem a Clara Nunes no GRES Portela. Homenageada com diploma da Feijoada da Família Mangueirense pela sua contribuição ao samba carioca e formação de uma genuína cultura brasileira, convidada especial da feijoada do Salgueiro, comandou a roda de samba em festa do estandarte de ouro da Mocidade Independente de Padre Miguel, convidada especial da feijoada do Império Serrano. Aninha Portal esteve sábado (25/09/2009) com o grupo Princípio do Infinito no Spaço Meritíssimo (Paracatú,548-Barro Preto)

FESTA NO SAMBA


























A NOITE DE SÁBADO (25/04/2009) FOI UMA GRANDE FESTA NO "SPAÇO MERITÍSSIMO", COM A PRESENÇA DE ZÉ LUIZ DO IMPÉRIO SERRANO, ANINHA PORTAL, MIGUEL DOS ANJOS, JANAÍNA MORENO, EVAIR RABELO, ROGÉRIO SILVESTRE(PAJÉ), BETO KAVAKETTA, ZÉ LUIZ E OUTROS BAMBAS DO BLOCO "NÃO MEXE QUE FEDE"(RJ). PELOS SORRISOS ESTAMPADOS VÊ-SE O ASTRAL DA GALERA. O "GRUPO PRINCÍPIO DO INFINITO" DEIXA AQUI REGISTRADO A GRATIDÃO, O CARINHO E O RESPEITO POR TODA ESSA TURMA QUE ESTÁ NA ESTRADA FAZENDO O SAMBA CRESCER CADA VEZ MAIS. VALEU!!!

domingo, 26 de abril de 2009

E O MERITÍSSIMO SE VESTIU DE VERDE E BRANCO



A SERRINHA SE FEZ PRESENTE ONTEM NO SPAÇO MERITÍSSIMO ATRAVES DO GRANDE ZÉ LUIZ DO IMPÉRIO SERRANO EMBALANDO A GALERA AO SOM DE GRANDES SUCESSOS COMO " TODO O MENINO É UM REI", "TEMPO Ê" E OUTROS.

HOJE (26/04) É DIA DO QUINTAL DO SERGINHO DIVINA LUZ RECEBER A PRESENÇA DESSE QUE É UM DOS MAIORES COMPOSITORES DO RIO DE JANEIRO.

sexta-feira, 24 de abril de 2009

JORNAL O TEMPO ON LINE ABRE ESPAÇO PARA O SAMBA, ATRAVES DO BLOG DE ZÚ MOREIRA

Sala de Recepção - A casa do Samba
http://www.otempo.com.br/blogs/?IdBlog=12

PARABÉNS AO JORNAL E A VOCÊ ZÚ PELA SUA ATUAÇÃO JUNTO AO SAMBA. PRECISAMOS DE MAIS GENTE COMO VOCÊ.

QUAL CRISE?

Espanta Crise
(Autor: Cabral)

Podia ser uma oração "Espanta Crise"
Qual crise?
Aquela que se lê no jornal?
Qual crise?
A existencial, ou todas as crises, aquelas...
A crise de todos os dias, uma inexistente, diluída, sem cor
Uma, que se ouve falar e ninguém entende
A crise das pedras na vesícula
Dos sonhos não realizados, das frustrações constantes e inconstantes
Qual crise?
A criada?
A crise tele-visada, a escrita, a falada?
Qual crise?
A muda, a que rompeu as barreiras, a inexistente, a inócua?
Qual crise?
Do Afeganistão, da África, da Somália, Irã, Sudão?
Crise das mães, que foram filhas de outras mães
Crise dos desempregados, dos sofrimentos em álcool
Das perdas irreparáveis
Dos seres vivos, mortos
Crise da pedofilia, do super aquecimento global
Das matas em fogo ardente
Dos rios em coma
Da crise dos hospitais em crise
Crise conjugal
Dos corruptos
Das prostitutas honestas
Das correntes sanguíneas
Do lirismo
Das tropas
Crise dos cegos, surdos e mudos
Dos inconsistentes, dos adolescentes, dos analfabetos
A crise da crise em crise
Uma crise sem peso, sem grama, na grama, aquele peso sem valor
Qual crise?
Aquela do vento a favor, contra
Crise de Tiradentes, de Getulio Vargas e JK
Pilhéria pura
Uma agressão a ignorância em todos os sentidos
Qual crise?
A infecciosa? a que alastrou?
A crise, Dengue, Febre Amarela, Financeira?
Qual crise?
Crise dos nossos pecados, dos inconformismos, dos formadores de opinião?
Crise do tempo real, online?
Crise de um relógio que não atrasa
Crise dos poetas e amantes?
Crise da parte que nos toca, e nem cabe mais
Podia ser uma oração "Espanta Crise"
Oração de nossas vidas, rogai por nós
E por todos nós, amem

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Arlindo Cruz lança DVD e CDs da série MTV ao vivo


Por Walter Sebastião - EM Cultura

Arlindo Cruz é o favorito de nove entre 10 sambistas do Brasil. Levam a assinatura dele pencas de sucessos de Zeca Pagodinho, o cantor que mais gravou as composições desse carioca de 50 anos, cujas primeiras canções foram escritas quando ele era adolescente e estudava na Escola Preparatória de Cadetes do Ar, na cidade mineira de Barbacena. Com quatro discos solo, cinco em dupla com o parceiro Sombrinha e 11 com o Fundo de Quintal, Arlindo tem cerca de 550 sambas interpretados por Maria Rita, Marcelo D2, Beth Carvalho, Jorge Aragão, Alcione e Rappin Hood, entre outros. O bamba acabou de lançar DVD e dois CDs da série MTV ao vivo. “É show com cenário bonito, músicos tocando bem, a rapaziada da batucada botando para quebrar e a galera cantando comigo”, conta.

sexta-feira, 17 de abril de 2009

SE LIGA NESSA

24/04/2009 - 19:00 AS 22:00 hs, NO TAMBOR MINEIRO. RUA ITUIUTABA, 339 PRADO.
TEL: 3295-4149

6 MESES SEM O GRANDE LUIZ CARLOS DA VILA


Parece que foi ontem, mas já vão fazer 6 meses dia 20 de Abril que perdi meu pai, NOSSO POETA LUIZ CARLOS DA VILA e todos da família estamos convidando os amigos para rezarmos juntos por ele.A MISSA SERÁ REALIZADA DIA 21 DE ABRIL ÀS 19H.NA IGREJA NOSSA SENHORA DO CARMO NA AVENIDA VICENTE CARVALHO Nº970 -RJ.
Obrigada,
Maiana Baptista.

GRUPO CAPIM SECO

Dêem uma força, a rapaziada merece, votem no grupo "CAPIM SECO" ara 8º festival do Lixo e Cidadania.





quarta-feira, 15 de abril de 2009

"QUEM AMA, NÃO TEM QUE PROCURAR SABER A RAZÃO POR QUE AMA..." TEM SIM DE VER ZÉ LUIZ NO SPAÇO MERITÍSSIMO


Zé Luiz do Império Serrano mostra seu CD
Presidente da Velha Guarda do Império Serrano, o carioca ZÉ LUIZ DO IMPÉRIO SERRANO mostra seu primeiro CD, Malandros Maneiros, dia 25/04/2009 no "SPAÇO MERITÍSSIMO", acompanhado pelo grupo "PRINCÍPIO DO INFINITO". Aos 62 anos, Zé Luiz do Império Serrano exibe no currículo a autoria de sambas como Tempo Ê e E Eu Não Fui Convidado, que fizeram sucesso nas vozes do cantor Roberto Ribeiro (1940 - 1996) e do grupo Fundo de Quintal, respectivamente. Neste disco de estréia, o compositor apresenta parcerias com Nelson Rufino (Fuga), Nei Lopes (Água de Barrela, Inocente Fui Eu, Caído com Elegância e a faixa-título " Malandros Maneiros", lançada por Roberto Ribeiro), Nelson Sargento (Amante Vadio) e Wanderley Monteiro (Mal Passada). O artista regravou Tempo Ê.

quinta-feira, 9 de abril de 2009

UM DOS GRANDES LANÇAMENTOS DE 2008


Corpulento, voz potente, Miguel dos Anjos já surpreende pela suavidade com que se comporta e canta. A suavidade de ser e cantar é, como se vê logo, uma opção existencial e musical. Não é por acaso que neste seu primeiro disco, “Esse samba todo é nosso” (Fina Flor), Miguel, de forma até inconsciente, empresta sua suavidade a algumas músicas criadas pelos mestres da suavidade musical. De Mário Reis, o primeiro cantor moderno (porque desprovido de efeitos, com o canto o mais próximo possível da fala cotidiana) do Brasil, quiçá do mundo, Miguel pinçou “Quando o samba acabou”, um Noel Rosa menos festejado do que merecia, samba narrativo, melancólico, belo de doer. De Paulinho da Viola, enfrenta a obra-prima “Coisas do mundo, minha nega”, numa versão originalíssima, guiada por uma batucada delicada conduzida por atabaque e trombone. Curioso que ambas as canções, de Noel e Paulinho, são sambas leves e sincopados que contam histórias secas, pungentes, de se chorar mais para dentro do que com lágrimas. E que, numa outra composição, “Eu canto samba”, Paulinho cita “Quando o samba acabou”, mostrando sua filiação a esse tipo de estética, digamos, suave. Da qual Miguel é seguidor.Em seu primeiro disco, ao recriar Mário Reis / Noel e Paulinho da Viola, Miguel dos Anjos diz portanto de onde veio, algo muito importante para um artista. Mas além de cantor, compositor, ele também diz de onde veio de forma confessional no samba de feitio clássico que dá nome ao disco, “Esse samba todo é nosso”: “Assim como a água não pertence ao rio / Que leva a chuva para o mar / Quando eu canto sou somente leito pro samba passar”, diz Miguel num verso que Paulinho da Viola seguramente assinaria não apenas pelo que diz mas pelas insuspeitadas metáforas com água. Continua dizendo de onde vem no samba também próprio que abre o CD, “Bênção em vida”: “Não foi de lá foi daqui / A fonte do raio de luz que iluminou sua canção / Foi por gratidão / Que o velho anjo, tomado de fé, seu samba abençoou”. Que “anjo” é esse? O “Anjo da Velha Guarda”, o clássico contemporâneo de Moacyr Luz e Aldir Blanc recriado por Miguel, verdadeiro hino dos sambistas de hoje, protegidos e inspirados pela Velha Guarda mas com a criatividade apontada para o futuro. Miguel dos Anjos é mineiro e, desculpem o clichê, discreto. Figura importantíssima na noite de Belo Horizonte, ele criou eventos que entraram para a história da música local, como o “Samba do compositor”, dedicado a autores como Nei Lopes, Hermínio Bello de Carvalho e Walter Alfaiate. Ou o “Samba da madrugada”, roda que acontece aos sábados no bairro Caiçara, tradicional reduto do samba e do choro de BH, que começa às 2h e só termina quando raia o dia. Coisa de malandro que gosta de samba e gosta da noite.Apesar disso, mas bem fiel ao seu estilo pessoal e musical, Miguel chegou ao Rio pisando leve. Eu o conheci na casa de Nei Lopes, em dia de samba, lugar em que não vai qualquer um. Agora, comprovando sua admiração, Nei presenteia Miguel em seu primeiro disco com dois sambas inéditos, ambos em parceria com Ruy Quaresma. Em “Samba da madrugada”, Ruy e Nei homenageiam explicitamente o cantor (e a madrugada de samba que comanda em BH) em compasso de samba de carnaval: “Já é manhã, galo cantou / E o amor me deu tudo que eu quis / O samba da madrugada fez meu dia clarear feliz”. Já em “Barravento” revelam outra faceta artística do cantor e compositor, a da negritude e da influência africana, com direito a participação vocal da Companhia Dá no Coro, coral carioca especializado em música negra.Ruy Quaresma, diretor artístico da Fina Flor e produtor do CD, diz que a intenção deste primeiro trabalho de Miguel era justamente mostrar todas as suas facetas de cantor e compositor. Por isso, o repertório é mesclado de sambas inéditos mas calcado em sambas conhecidos, alguns clássicos até. “O Miguel sempre cantou na noite em Belo Horizonte, por isso quis ressaltar essa idéia de cantor, além de seu trabalho autoral”. O clássico samba-exaltação “Olhos verdes” (Vicente Paiva) mostra, por exemplo, como ele se dá bem como crooner de orquestra. Numa música menos conhecida (mas não menos importante) de João Bosco e Aldir Blanc, “A nível de...”, ele ressalta, com sua suavidade peculiar, as sutilezas da letra, num outro samba narrativo, como tantos do CD. Um clássico do jovem Chico Buarque, “Ela desatinou”, ganha de Miguel uma versão cool, com divisões rítmicas inventivas, na qual Miguel mostra a meu ver suas muitas qualidades como cantor.Das regravações, a mais surpreendente é a de “Canção do sal”, primeiro samba gravado de Milton Nascimento e que, por arte do arranjo de Ruy Quaresma, reaparece em forma de baião. Com direito a lindo desenho de cordas e ao acordeom do especialista Zé Américo, o baião ressalta o caráter épico de “Canção do sal”, uma espécie de homenagem de Miguel ao conterrâneo Milton e a todos os compositores do Clube da Esquina, que tanto o influenciaram.Amparado pela produção e os arranjos de Ruy Quaresma e acompanhado por alguns dos melhores músicos cariocas, Miguel diz de onde e ao que veio em seu disco de estréia. Trata-se de um cantor cool, musicalíssimo, original e fiel a uma estética de longa tradição na música brasileira. Mas em mais um samba autoral do disco, “Bem-vinda presença”, é que ele confessa qual o centro de sua aventura artística: “O ofício de compositor é o maior alento da vida”.




Hugo Sukman, maio de 2008





quarta-feira, 8 de abril de 2009

MARINA GOMES


MARINA GOMES faz o samba no Casemiro, que fica próximo da feirinha do Arnaldo.

Av. Bernardo Monteiro, 999, Funcionários.
Happy Hour com muito samba, cerveja gelada na véspera do feriado. Nada melhor!!!
O bar é muito agradável e bem localizado, vale a pena conferir. Já o samba desta cantora dispensa apresentações e comentários.

Ela será acompanhada pelos bambas Dé Lucas (violão) e Fábio Martins (percussão).

Entrada: 5,00

Josi Costa - Produtora
(31) 9193-2774
http://producaomusicalbh.blogspot.com

terça-feira, 7 de abril de 2009

CABRAL NO LANÇAMENTO DO CD DÓRIS CANTA SAMBA

ESSE DEIXOU SAUDADES

OURO PURO - PAULO CESAR PINHEIRO E O CANTO DAS TRES RAÇAS

DONA IVONE LARA EM LIVRO


Por Eugênia Rodrigues
Publicada em 17 de Fevereiro de 2009
Assunto: Livros


"Nasci para sonhar e cantar - Dona Ivone Lara – A mulher no samba" é o recém-lançado livro sobre a grande dama do samba. Escrito pela jornalista Mila Burns, ele investiga não só a vida e obra da cantora e compositora imperiana, mas também a trajetória do sexo feminino nesse que é o mais popular dos gêneros musicais do país.

A obra sai pela Editora Record, tem 176 páginas + 16 de encarte e custa R$ 32,00. Segue abaixo o texto enviado pela divulgação.


neste link está em oferta: http://www.travessa.com.br/NASCI_PARA_SONHAR_E_CANTAR_DONA_IVONE_LARA_A_MULHER_NO_SAMBA/artigo/6813b165-ca73-41c0-b18b-c4866cf06e34


"Responsável por algumas das mais belas canções batucadas Brasil afora, como Sonho meu e Alguém me avisou, Dona Ivone Lara é figura central da música popular brasileira. Primeira mulher a fazer parte da ala de compositores de uma escola de samba, sua trajetória se confunde com a história do próprio ritmo. Em NASCI PARA SONHAR E CANTAR, Mila Burns, repórter da Rede Globo, faz um estudo antropológico, de gênero e raça, sobre a vida e carreira da cantora e letrista.
A proposta do livro, além de contar a carreira de Dona Ivone Lara, é contextualizar a presença das mulheres, compositoras especialmente, na música popular brasileira, e que tipo de adversidades e preconceitos elas tiveram de superar. "Percebo a figura de Dona Ivone como uma representação de tenacidade, de vontade e, sobretudo, inteligência. Ela traça a própria vida, é senhora de seu destino, não espera as coisas acontecerem.", conta Mila.
NASCI PARA SONHAR E CANTAR acompanha a trajetória da cantora, orfã muito cedo, passando pelos anos em que ela se dividia entre o samba e a profissão, enfermeira, até o estouro tardio como cantora. Mila Burns entrevistou Dona Ivone Lara e outras fontes ligadas a autora diversas vezes. A pesquisa demorou mais de um ano.
O livro nasceu como tese de mestrado em Antropologia da autora, mas passou por um segundo processo de escrita e adaptação. "Tive de fazer grandes adaptações. É uma coisa muito complicada para um acadêmico, talvez mais difícil que escrever a tese. Dói ter de abrir mão de determinadas referências que foram pesquisadas por muito tempo, viraram quase parte da mesa de cabeceira. As mudanças, no entanto, são necessárias para tornar a leitura menos dura, menos acadêmica e me esforcei muito para fazer isso sem deixar de fora referências interessantes", finaliza.

Mila Burns é jornalista (ECO/UFRJ) e mestre em Antropologia Social (Museu Nacional/UFRJ). Nasceu em Vitória/ES e herdou dos pais o amor pela música brasileira. Quando chegou ao Rio, em 1998, tomou contato direto com os protagonistas desse universo, que se tornaram o principal assunto de suas reportagens na TV Globo e de suas pesquisas em diversas instituições. Este livro é o resultado do casamento dessas duas paixões".

segunda-feira, 6 de abril de 2009

MAIS UMA BELA VOZ FEMININA NO SAMBA

Casemiro Hot P.u.B apresenta toda sexta-feira as 18:hs o grupo SAMBA DA SILVA da nossa querida MARINA que também faz parte do projeto "EU CANTO SAMBA"(veja link na lateral). O bar fica na av. Bernardo Monteiro, 999 Funcionários. info: 9643-0999 / 3318-3897. É samba pra Silva, Antônio, Joaquim, Paula, Maria... confiram.

domingo, 5 de abril de 2009

PROJETO EU CANTO SAMBA


http://projetoeucantosamba.blogspot.com/2009/04/roda.html

Conheça

O projeto surgiu da iniciativa de um grupo de sambistas de Belo Horizonte, para ser um espaço de exaltação do cantar o samba, reflexão, retorno às raízes, criação.

Lugar de interação entre os músicos velhos e novos.
Os maiores objetivos do projeto são o canto, prazer de cantar a sua verdade, de alegrar o coração de quem faz o samba acontecer, pensar a música, responsabilidade de cada músico.

Tudo isso é discutido no projeto que tem várias vertentes.

A primeira delas é a Roda Viva.

Ela ocorre todos os domingos a partir das 15 horas, no Quintal do Divina Luz, rua Maria Aparecida, 375, bairro São Marcos.

Os músicos literalmente formam uma grande roda, que recebe com respeito todos aqueles que querem mostrar seu trabalho dentro do samba.

SE LIGA AÍ GALERA